Aliança Convencional


REFLEXÃO: O que é uma convenção? 
  Aquele que se ISOLA busca seus próprios interesses.- Provérbios 18:1 

Convenção evangélica é aliança, é unidade entre vários irmãos ou grupos de irmãos, igrejas evangélicas de variadas denominações, que defendendo suas ideologias e fé, trabalham, sob uma mesma bandeira, em prol de seus projetos e cumprimento de suas missões. 

Em outras palavras, uma convenção evangélica é uma associação independente, que proporciona aliança entre igrejas de diversas denominações, instituições fraternais, filantrópicas, ministros, obreiros, et, no intuito de defender seus interesses apoiando e auxiliando  no cumprimento de suas missões, defendendo a sua fé, em prol do Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. 

A convenção não substitui a igreja, mas trabalha em favor da mesma. Ser membro convencionado de uma convenção não substitui a importância de ser membro de uma igreja. Aliás, convenção que se preze exige que seus convencionados sejam membros ativos de uma igreja evangélica, aonde o convencionado vai cultuar, exercendo seu ministério e cumprindo seus deveres cristãos, tipo, dizimar. 

A convenção proporciona um ambiente de fraternidade entre igrejas sob as mais diversas denominações,  ministros, instituições filantrópicas, objetivando trabalhar em prol do cumprimento de seus deveres, defendendo suas causas e interesses. 

É uma associação coletiva, onde todos trabalham pela mesma causa, ultrapassando as barreiras denominacionais, conservando a fé e os princípios bíblicos. 

Através desta harmoniosa aliança, cada grupo, cada comunidade, cada igreja, cada instituição não esta mais isoladamente em atuação, pois a convenção apresenta a proposta de aliança com vários outros congêneres, e isto traz força maior para a realização de eventos, e o alcance de seus ideais. Afinal, dois juntos trabalham melhor do que um! 

Uma convenção exige uma liderança de pulso, autoridade, visão. Seu líder vai levar sobre si a responsabilidade de representar a instituição, tendo de ter mão forte para governar com sabedoria e autoridade, sem contudo, usar de regime de ditadura. Tem de ter visão apurada, objetivando sempre o avanço do Evangelho, criando estratégias para atrair fortalecimento, para poder apoiar os seus parceiros filiados em suas atividades, colaborando sempre para o crescimento da igreja, do ministro, da instituição. 

A visão de um líder tem de ser futurista e ampla.... ele tem de pensar e focar no seu objetivo, mentalizando o sucesso, e almejando chegar em um resultado sempre positivo.  

Todos esforços possiveis serão feitos pelo líder da convenção para que ela cresça e para que seus liderados possam desfrutar de um patamar ministerial elevado e seguro. O líder não lidera para sí, ele lidera para os seus convencionados. 

A igreja é aquilo que seu líder é... O ambiente da igreja é aquilo que o ambiente do lar deste líder também é. Se eu seu lar existe harmonia, amor, respeito, cooperação, trabalho em equipe, a igreja e a convenção assim será também. 

A convenção não deve nunca ser uma “fabrica de obreiros”, comercializando carteirinhas e diplomas  irresponsavelmente. A convenção vai reconhecer o ministério de cada obreiro, capacitá-lo para o exercicio de seu oficio, e habilitá-lo para que seja reconhecido e honrado dignamente pelos outros. 
Uma credencial tem de ser o mesmo que uma medalha é para o atleta: um reconhecimento pelo seu trabalho, sua conquista. O obreiro ele tem de conquistar a sua credencial.  

Um obreiro que não conquista a honra da sua credencial é como alguém que vai ali no mercado, e compra ali uma medalha qualquer e a usa, sem nunca ter competido em nenhuma modalidade sequer. Isto não ée crime, mas é usar um artefato sem honra, sem mérito. 

Pois o dom ministerial quem dá é Deus, e é pela sua infinita misericórdia, 
nenhum de nós merecemos a honra de sermos chamados por Deus para o exercício de um ministério qualquer, seja de diácono ou diaconisa, seja pastoral, apostólico, etc. 

Mas a honra de usar a credencial somos nós quem conquistamos, nós que pagamos o preço, pois isto nos identifica “oficialmente aos olhos de todos” como ministros. 

O que faz um médico ser reconhecido como um excelente médico? É o seu lindo diploma, que lá está dependurado na parede de sua casa ou consultório? Claro que não... O que faz um médico ser bom é a sua dedicação e capacitação por ele mesmo adquirido para o exercício de sua profissão. E sua carteira do CRM se torna como uma medalha conquistada de forma honrosa.  

Um ministro pode ter a credencial talhada em ouro, lindíssima, emitida por intituições honradíssimas, inquestionáveis, e assinada pelo mais famoso dos líderes evangélicos nacional ou mesmo internacional. Mas se sua conduta pessoa e ministerial for fracassada, irresponsável, totalmente desaprovada pelos dogmas doutrinários de é ética para um servo de Deus, seu caráter for de péssima formação, desonesto, imoral, este ministro continuará sendo o mesmo canalha... Não será a credencial que mudará a sua condita pessoal. Ela se torna como um documento invalido, pois o seu possuidor não tem honra para usar a mesma.  

Pois ele não a conquistou! Ele a usa porque se inscreveu na convenção, conseguiu passar pela mesa examinadora, tendo até sido indicado por alguém da convenção, ai ele paga la sua taxa de inscrição, sua mensalidade, e isto o faze ter o direito adquirido para usa esta credencial. Mas ele não merecerá a honra que ela representa! É como se eu, que nunca pratiquei nenhuma modalidade esportiva, fosse ali na ferinha, e comprasse ali uma bijuteria, em forma de medalha, copiando, por exemplo, as medalhas olímpicas, e nesta medalha tivesse lá inscrito que eu seria campeão olímpico de, por exemplo, tae kwan do. 

Uma convenção, é, portanto, um amparo ministerial que fortalece aqueles que fazem parte dela. Contudo, não são poucos os que não entendem isto, e querem implantar convenções sem nenhuma bagagem para isto e sem nenhuma condição espiritual ou moral para tal feito. Não sabem governar as suas igrejas isoladas, não tem pulso nem em sua casa, e querem governar na obra de Deus, pois seus objetivos é o poder de governo que não merecem e nem tem condições para exercer. E isto os fará serem vendedores de credenciais e certificados de 

ordenação para gatos e lebres, contribuindo assim para o aumento de falsos obreiros e falsos profetas, que acabarão trazendo prejuízos para o reino de Deus. 

A nossa convenção CONADEOM - Convenção Das Assembléias de Deus e Obras Misisonárias  -proporciona uma aliança ministerial e suporte para a realização de toda e qualquer obra do Senhor, unindo numa mesma bandeira, ministros e igrejas de diversas denominações, que estarão em aliança convencional.
Proporcionando formação para o obreiro, apoio em seus trabalhos, e uma base de fé e unidade que, juntamente com sua igreja, proporcionará ao ministro uma força maior para seu trabalho. Estamos em diversos estados e cidades brasileiras, e em 6 países, e Deus esta nos abençoando com crescimento.
Temos um trabalho de agenda para os ministros em geral, dando a cada um a oportunidade de ser convidado a qualquer momento para eventos em todas as localidades onde estamos.

Queremos muito a sua participação como associada(o), temos certeza de que seria muito bom para seu ministério e nós, da CONADEOM, nos sentiríamos mais ricos com sua participação.

Ao redor do mundo